Please reload

Posts Recentes

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Posts Em Destaque

Infiltrações. Onde Foi que Eu Errei?

 Os erros que os síndicos cometem no enfrentamento das infiltrações em concreto

 

Em nossa região os meses de novembro a janeiro são marcados por uma fase de estiagem e as infiltrações parecem dar uma trégua. Aí é que mora o perigo, pois as patologias estão lá e só não se manifestam devido à ausência de água de chuva.

O concreto é um material composto de vários elementos e sofre muito com a alternância entre períodos de secos e chuvosos. Nesta época de verão, as áreas já deterioradas sofrem um ressecamento que gera um ataque silencioso e quando as chuvas chegam encontram as patologias em estado mais degradado do que estavam nos meses que antecederam a estiagem.

Por esta razão, e por termos um clima com grande presença de calor, umidade e salinidade, quase todos os edifícios se deparam com os problemas com infiltrações. A maior parte destes problemas ocorre entre o playground e o primeiro subsolo. Caixas d’água  e piscinas estão em segundo lugar.

 

Não Cometa estes Erros

 

 

Com o objetivo de auxiliar os síndicos, listamos abaixo os erros mais comuns que os síndicos cometem quando o assunto é infiltração:

 

 

Resolva sem demora

 

Desta forma, é importante que os problemas sejam corrigidos com brevidade para que não se expandam, aumentando o custo dos serviços de correção.

Outro alerta: A solução tem que ser na origem da água. Soluções paliativas vão agravar os problemas.

 As duas formas  mais eficazes de se eliminar definitivamente as infiltrações são:

 

1) Substituição da Manta. Solução radical, que envolve a remoção de pisos e revestimentos;

 

2) Injeção Química. Neste caso é preciso atentar para a flexibilidade e viscosidade da substância injetada (se a água está passando, a substância tem que passar). O produto tem que ter a propriedade de preencher TODAS as microfissuras e corrigir o problema na origem.

 

Para escolha da melhor solução, recomendamos observar os seguintes aspectos:

  • Valor do Orçamento

  • Tempo de execução (interdições, transtornos, etc)

  • Garantia oferecida

  • Reputação da empresa (Peça referências. Não deixe de pedir informações a outros síndicos que já contrataram a empresa).

 

Responsabilidade Legal

 

O síndico nunca pode se esquecer de que ele é o responsável  legal por prejuízos causados pela omissão ou não realização dos serviços de manutenção da edificação. A Lei 4.519/64 é bastante rigorosa a este respeito. Portanto, é recomendável que o assunto seja resolvido ou, se inviável, pautado em assembleia e compartilhado com todos.

 

(Matéria extraída do Jornal do Síndico - dez/2015)

 

Please reload

Siga
Please reload

Procurar por tags